A Noção Institucional da Administração Enquanto Profissão e sua Influência na Prática da Gestão e na Formação do Administrador (2018-2022)

Natureza:

Projeto de pesquisa científica (Edital Chamada Universal MCTI/CNPq 28/2018)

Status:

Concluído

Financiador(es):

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq

Descrição e Propósito:

Em termos sociológicos, profissões são papéis sociais instituídos na sociedade, responsáveis tanto por produzir campos de atuação, quanto por reproduzir lógicas e práticas inerentes a estes, funcionando como agentes institucionais influentes. Pela atuação desses agentes se pode compreender as condições de produção e reprodução das esferas que compõem sua dimensão institucional, em termos de como elas se reforçam, transformam ou inovam, a partir de ações de praticantes organizados em classes profissionais e/ou de organizações profissionalizadas. Há evidências – empíricas e científicas – de que a Administração, tomada como uma profissão, ainda demanda fechamento ocupacional mais substantivo, tanto em termos internacionais, quanto em âmbito Brasil. Assim, é importante discutir institucionalmente o campo profissional da Administração para se compreender não apenas como a profissão da Administração pode ser entendida com base nos condicionantes pré-existentes que moldam o comportamento e o perfil dos agentes que lidam com a gestão, mas, também, de que forma indivíduos e atores sociais (tais quais as organizações) estrategicamente posicionados no campo de atuação da Administração institucionalizam práticas em âmbito societal, e/ou operam modificações diretas nos arranjos institucionais que os configuram, profissionalizando esse campo – que é composto pelos subcampos (i) da formação/educação, (ii) dos praticantes da gestão (em sentido amplo), (iii) das consultorias, e (iv) da mídia. O projeto de pesquisa analisou de que forma a noção institucional da Administração enquanto profissão opera processos de âmbito individual, organizacional e societal que influenciam a prática da gestão e a formação do administrador.

Achados/Resultados:

Os resultados envolveram:

– Sobre a mídia: (i) a constatação de influência material e simbólica recursiva entre fatores institucionais e mídias de negócios atuantes no campo profissional da Administração;

– Sobre as consultorias: (i) a demonstração de que consultores de gestão adquirem as competências necessárias para sua atuação em processos de formação educacional de nível superior e/ou em experiências profissionais que os colocam em contato com vocabulários próprios da gestão, bem como símbolos e “modos de fazer” da profissão da Administração, que os fornecem a habilidade de traduzir os conhecimentos adquiridos, utilizando-se da retórica como ferramenta estratégica para construir significados compartilhados com os seus clientes, de modo a obter e manter a sua legitimidade; (ii) a identificação da presença da lógica profissional da Administração regendo consultores de gestão, que os faz replicar práticas em diversas organizações, contribuindo para a profissionalização do campo, ao circularem ideias de gestão;

– Sobre o campo  profissional da Administração: (i) a discussão de diversos fatores que afetam a legitimidade da profissão da Administração no Brasil, como a percepção de baixo reconhecimento e valorização do administrador (que comprometem a inserção desses profissionais), a inadequação de sua legislação (que reproduz os pressupostos de profissões bastante diferentes da Administração), a baixa efetividade das ações desenvolvidas pelas entidades de classe, e a própria configuração da atividade administrativa, que apresenta diferenças marcantes em relação às profissões clássicas, como a falta de contato direto com o cliente/usuário, além de seu caráter contingencial e contextual; (ii) a existência de um mito racional de ordem legal na Administração profissional no Brasil, quando esta pauta seu processo de institucionalização mimetizando o modelo de profissões de maior tradição histórica (a exemplo de Medicina, Engenharia e Advocacia), com base na crença de que tal estrutura (reproduzida na Lei do Administrador), conferirá maior reconhecimento social, melhores perspectivas de atuação, maiores possibilidades de ascensão social e, dessa maneira, um fechamento ocupacional mais substantivo; (iii) o levantamento das ideias de gestão cuja circulação, consumo e coprodução/edição, influenciam na legitimação – discursiva, retórica e narrativa – de condutas e atuações práticas dos profissionais da gestão; (iv) a discussão sobre o distanciamento entre o conhecimento científico da área e sua aplicação pelos praticantes profissionais, entendendo como a linguagem pode ser a engrenagem para compreensão e articulação dos espaços interseccionais de atuação do campo profissional da Administração; (v) o mapeamento de desafios ao modelo de profissionalização da Administração no Brasil, a exemplo da falta de maior articulação entre seus diferentes atores, a fragmentação do campo, o surgimento de novas atividades profissionais que podem incorporar atividades típicas da Administração, mudanças de ordem política e econômica – impulsionadas pela lógica de mercado – que pressionam por desregulamentação, e a flexibilização do modelo de profissões regulamentadas;

– Sobre a profissão da Administração: (i) evidenciou-se que, a despeito da afirmação de senso comum, e de sua trajetória histórica já secular, a Administração (quer nacional ou internacionalmente) não pode ser considerada uma profissão – ao menos no sentido científico de “profissão” segundo a ‘Sociologia das Profissões’ – sendo mais apropriado avalia-la como uma ‘profissão emergente’ ou uma ‘semiprofissão’, mas que contém, em si mesma, condições versáteis, dinâmicas e interdisciplinares passíveis de impulsioná-la a uma ‘superprofissão’ transversalmente relevante a diversas outras profissões já estabelecidas; e, (ii) o indicativo da existência de uma ‘linguagem da Administração’, própria e constitutiva deste campo profissional como algo distintivo deste grupo profissional.

Palavras-chave:

Profissões; Instituições; Prática da Gestão; Formação do Administrador; Estudos Organizacionais.

Integrantes:

Samir Adamoglu de Oliveira (coordenador), Edson Ronaldo Guarido Filho (coordenador adjunto), Diego Maganhotto Coraiola (coordenador adjunto), Anielson Barbosa da Silva (colaborador), Marcelo de Souza Bispo (colaborador), João Moraes Sobrinho (pesquisador), Luciene Alencar Firmo Abrantes (pesquisadora), Maria de Lourdes de Melo Salmito Mendes (pesquisadora), Carolina Wünsch Marcelino (pesquisadora), Douglas Oliveira Bezerra (pesquisador), Jéssica Monteiro Valverde (pesquisadora), Mariene Cavalcante Borba de Albuquerque (pesquisadora), Vivianne Freire Felix (pesquisadora).

Produtos Vinculados:

Artigos completos/Resumos publicados em anais de eventos:

Valverde, J. M., Bezerra, D. O., Abrantes, L. A. F., & Adamoglu de Oliveira, S. (2020). Trabalho institucional profissional estratégico em vazios institucionais: o caso da harmonização orofacial na Odontologia. Anais do Encontro de Estudos em Estratégia da ANPAD (3ES), evento on-line, Brasil, 9.

Dissertações de mestrado:

Valverde, Jéssica Monteiro (2021). Traduzindo Ideias de Gestão: A Influência das Consultorias na Profissionalização do Campo da Administração (Dissertação de mestrado). Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, Brasil. https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/20967

Bezerra, Douglas Oliveira (2021). Midiatização e Profissão: Um Estudo de Mídias Sociais e Materiais Noticiosos no Campo Profissional da Administração (Dissertação de mestrado). Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, Brasil. https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/20758

Teses de doutorado:

Sobrinho, João Moraes (2021). O Processo de Institucionalização da Profissão de Administrador e os Desafios para sua Legitimação no Contexto Brasileiro (Tese de doutorado). Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, Brasil.